Dermatologia

A pele é o maior órgão do organismo e funciona como uma barreira anatômica e fisiológica entre o organismo e o meio ambiente. Ela promove proteção contra agressões físicas, químicas e microbiológicas. Por ser o órgão mais exposto, lesões no tegumento e seus anexos respondem por cerca de 70% da casuística de atendimento em uma clínica veterinária. A dermatologia veterinária abrange muito mais do que a avaliação da pele e seus anexos, pois muitas vezes ela é só a manifestação mais evidente de uma doença sistêmica. A avaliação clínica minuciosa do paciente e o histórico completo é fundamental para estabelecer um diagnóstico preciso.

Exames complementares realizados pelo próprio dermatologista também são importantes para confirmação da suspeita clínica. Dentre eles estão os parasitológicos de pele e cerume, citologia de pele e cerume, cultura fúngica e bacteriana, lâmpada de Wood e biopsia de pele e histopatologia. O exemplo clássico da importância dos exames e do diagnóstico diferencial é a piodermite bacteriana, 80 % dos quadros de piodermite são secundários, isto é, existe uma doença de base predispondo a infecção. Esta doença pode ser de origem alérgica, seborreica, hormonal, neoplásica, entre outras. Menos de 20% dos casos vão apresentar melhora quando tratado somente com antibiótico. O restante irá apresentar recidivas que são incomodas para o paciente e custosas para o proprietário.

Dra. Sabrina Sylvian Ribeiro.